Mídia, Futebol e Vitória

28 Jun
2019
Categorias: Todos, Artigos

camera-2.jpg

Por: Prof. Norton Kappel e Prof. José Pedro Villalobos - Consultores

Vivemos tempos altamente complexos. A Revolução Digital, iniciada ainda nos anos 70, mudou radicalmente a vida em sociedade. No âmbito das comunicações o impacto é enorme. Deixamos de ser receptores passivos dos conteúdos dos meios de comunicação de massa para nos tornarmos, ao mesmo tempo, produtores-editores-difusores de nós mesmos e das nossas “notícias”. Assim, sem filtro que não a própria consciência, vamos dando publicidade aos nossos atos e pensamentos - em especial através das redes sociais.

Este mundo complexo, ambíguo, volátil e incerto (o mundo VUCA anunciado por economistas e estudiosos de mercado há algum tempo), quando transposto para o universo dos clubes de futebol, se revela altamente desafiador e, ao mesmo tempo, frustrante. Desafiador pela necessidade de pensar e agir - com e sobre - uma enorme quantidade de atores, processos e circunstâncias envolvidas; frustrante porque impossível de obter-se controle absoluto sobre todos estes fatores. 

Apenas para ilustrar: se até algumas décadas as relações entre atletas e torcedores eram mediadas pela imprensa, agora este filtro sumiu. Jogadores usam suas redes sociais para se comunicar com o público independentemente de qualquer intenção de controle por parte dos clubes. Como autênticos “produtores das notícias de si mesmos”, não raro cometem excessos, inconfidências e fazem uso pouco recomendável do espaço público. 

O mês de junho de 2019 foi sacudido, no Brasil, pelo caso Neymar. 
É um assunto que envolve, por se tratar de um craque internacional e ídolo  da seleção Brasileira. Sexo, futebol, mídia, marketing, polícia, justiça, redes sociais, opinião  comportamento, sociedade todos os componentes estavam e estão nesse caso. É um exemplo impressionante e complexo deste mundo interligado da comunicação atual.

Por outro lado, as comunicações entre clubes e torcedores se tornaram igualmente mais diretas, transparentes e até informais. Também os clubes assumem um papel de produtores do próprio noticiário e criam canais de divulgação para interagir com um público apaixonado e ávido por informações.

Neste contexto, qual o papel da área de comunicação num clube de futebol? Como se relacionar com tantos atores (dirigentes, jogadores, procuradores, assessores particulares de imprensa, torcedores, etc.) e estabelecer um controle mínimo e confiável da comunicação, aliado a uma gestão de riscos? Indo adiante: como a mídia do clube se transforma num parceiro do clube, capaz de gerar resultados positivos?  

Devemos dar um sentido de realidade e importância estratégica a este segmento muitas vezes subvalorizado ou mesmo ignorado e buscar torna-lo um importante aliado tático e estratégico dos Clubes na sua incessante busca por vitórias e títulos e, principalmente, na satisfação do seu torcedor!

A minha grande oportunidade chegou, e agora?

A grande maioria dos jovens jogadores não estão preparados para “mudar de vida”.

Saber +

Confiança Interpessoal e o Alto Desempenho de Equipes de Futebol

O desempenho de jogadores e equipes de futebol é influenciado por diversos fatores, um que se destaca é o relacionamento interpessoal, mais especificamente o clima e cultura de confiança interpessoal das equipes.

Saber +
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização Está a usar um navegador desatualizado. Por favor, actualize o seu navegador para melhorar a sua experiência de navegação.